sábado, 31 de agosto de 2013

OS GRANDES VELEIROS

.
.

A CANÍCULA EM PARIS

.

A moda, ou antes aqueles que a fazem, acaba de tomar uma resolução sapientíssima. Paris, de ora em diante, fica sendo considerado, durante os meses de Verão, para todos os efeitos sociais, como campo e não como cidade. E permitido, portanto, passear, fazer visitas, ir ao teatro, etc., de chapéu de palha, jaquetão claro e botas brancas. Nada mais justo. Era com efeito absurdo que Paris nos servisse trinta graus à sombra – e que os Parisienses continuassem a sofrer a tirania da sobrecasaca apertada e do duro chapéu alto. A moda mesmo deveria ir mais longe e permitir a tanga. O vestuário foi inventado por causa da temperatura, e deve portanto variar com ela harmonicamente. A neve pede peles, peles suplementares, arrancadas a animais. O sol do Senegal ou de Paris, em Julho, só pede a própria pele – sem mais nada, além de uma folha de vinha. Esta seria a lógica das coisas. A moda não ousou ser tão radical – e foi só até à palha e à alpaca.
.
Eça de Queirós in "Ecos de Paris"
.

QUISPO AMARELO

..
.
(Lisboa, 28-05-2013)
.

TERRA, FONTE DA VIDA

.

Ainda hoje não sabemos como a vida surgiu na Terra. No Século V AC, o grego Anaxágoras acreditava que os "germes da vida" tinham vindo do espaço, sob a forma de micro-organismos que teriam encontrado aqui condições favoráveis ao desenvolvimento; e à evolução, diríamos agora. Tal teoria, dita panspermia, foi retomada no Século XIX e os seus defensores apoiam-se no facto de existirem bactérias—chamadas extremófilas—resistentes a temperaturas extremas, ao vazio, à radiação ionizante e a outros factores hostis do espaço. Serão elas os últimos seres vivos a desaparecer da Terra quando esta acabar dentro de um milhar de milhões de anos.
Mas o inverso também é verosímil. Isto é, a vida pode ter nascido no nosso planeta, embora não se saiba como, e daqui ter partido para outros astros; por exemplo, na sequência do impacto de asteróides. Sabemos que há 65 milhões de anos um asteróide com mais de 10 km de diâmetro embateu na Terra, o que levou ao desaparecimento dos dinossauros em consequência da perturbação causada na atmosfera. Segundo estudos de investigadores japoneses, um impacto desses, seguramente, pode lançar no espaço material capaz de atingir a Lua e Marte e talvez outros planetas do Sistema Solar e o espaço interestelar. A ser assim, se algum dia se encontrar uma bactéria na Lua, ou em Marte, é bem possível que ela tenha viajado para lá da bola azul onde vivemos. E é também admissível que essas embaixatrizes da Terra já residam em planetas fora do Sistema Solar.
.

O RIO, A CANA E UM POUCO DE PENSAMENTO

.
.
(Lisboa, 29-08-2013)
.

NÃO É FÁCIL SER POBRE

.



É comum a noção de que a maioria dos pobres têm aptidão intelectual inferior à dos não pobres. Por vezes diz-se que por essa razão é que são pobres, ou que o pobre, por o ser, tem menos instrução, e outras banalidades. A verdade é que não há estudos decentes sobre isso.
O número de 30 de Agosto deste ano da revista "Science" publica um artigo de dois psicólogos e dois economistas das universidades de Harvard, British Columbia, Princeton e Warwick que aponta para a possibilidade da própria situação de pobreza diminuir a aptidão intelectual, independentemente do efeito de situações como a fome, a doença, ou outras. Segundo os autores, a pobreza monopoliza a atenção de maneira obsessiva e cria pensamentos "parasitas" que prejudicam enormemente o raciocínio e a capacidade cognitiva.
O estudo inclui uma população na Índia que tem no ano um período de fartura, após as colheitas, e outro de privação, antes destas, e a diferença de desempenho intelectual é flagrante. A pobreza pode diminuir o QI cerca de 13 pontos.
Informação deste tipo é fundamental do ponto de vista sociológico e político. A ideia de que somos todos iguais é verdadeira até prova em contrário. E o estudo referido é a prova provada de que há uns menos iguais.
.
A pobreza põe uma surdina em todas as actividades humanas, sem exceptuar as do espírito.
Henry Mencken
.

TITANIC

.
.
(Lisboa, 29-08-2013)
.

ESCADAS

.

Na imagem, temos dois níveis com diferença de altura de cerca de 1,5 metros: o plano da fotografia e o nível entre as duas primeiras colunas.  À esquerda existe uma rampa para vencer o desnível; à direita, uma escada. Esta tem menos de 2 metros de comprimento. A rampa tem mais de 5. Significa isto que na rampa o esforço da subida é mais suave, embora mais duradouro. Mas a rampa exige muito espaço e a escada é mais "económica".
As primeiras escadas foram as de mão. Posteriormente, surgiram as fixas e, ao longo da História, adquiriram valor simbólico, primeiro artístico, depois religioso até. São um dos elementos da arquitectura mais utilizados pelo cinema. Vale a pena ler a história das escadas, nomeadamente a da misteriosa escadaria da Capela Loretto, em Santa Fé, nos Estados Unidos. 
Serve isto para dizer que nos mais banais elementos da civilização existe matéria para reflectir. É conversa de jarreta, mas vale a pena pensar nela.

Here’s to the man who invented stairs
And taught our feet to soar!
He was the first who ever burst
Into a second floor.
The world would be downstairs to-day
Had he not found the key;
So let his name go down to fame,
Whatever it may be.
           

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

OS GRANDES VELEIROS

.
.
"Bellona" e "Courageux"
1761
.

D. JOSÉ I

.
.
(Lisboa, 15-08-2013)
.

DICIONÁRIO DO DIABO

.




INSURREIÇÃO s. f.—Revolução falhada.

O ALBUQUERQUE

.
.
(Lisboa, 29-08-2013)
.

OS CROMOS DA POLÍTICA

.

Conheci um senhor do Norte que contava a história dum caçador que, com um tiro, tinha cortado uma peça de caça "hermeticamente ao meio". A referida expressão era citada e fez carreira no humor do burgo. Hoje leio no jornal que Luís Filipe Menezes proibiu a festa de inauguração do Pavilhão Municipal de Gaia, em 13 de Setembro, porque tal evento não era "eticamente enxuto" em mês de eleições.
Já tinha ouvido falar da ética aristotélica, da ética kantiana e por aí fora; mas da ética enxuta, nunca—jamé! Presumo que seja corrente filosófica moderna a medrar nas margens do Douro, entre a Serra do Pilar e o rio, mas para cá do elemento líquido, está bom de ver.  Diz o ditado que não se pescam trutas a bragas enxutas. Agora, ficámos a saber que na ética é ao contrário—não se deve molhar as bragas.

O RIO DA PRATA

.
.
(Lisboa, 29-08-2013)
.

FACES

.
.
(Lisboa, 29-08-2013)
.

TESOURO TOSCANO

.

A Torre de Pisa, ícone da Toscana, começou a ser construída em 1170. Cinco anos depois, a construção parou por 90 anos. Já então se inclinava, dada a natureza do solo argiloso onde estava implantada. Depois, fizeram-se mais andares mas, de 1301 a 1350, as obras pararam novamente. Em 1372, ficou pronta.
Em 1350, a inclinação do eixo era de 1,4 graus, ou seja, um desvio de 1,4 metros. Em 1817, o desvio era de 3,8 metros e 5,4 metros em 1993!
Entre 2001 e 2013, este ano, recuperou 2,5 cm! Milagre? (Está construída na Piazza dei Miracoli). Não!... Não foi milagre. Foi o resultado de trabalhos de engenharia realizados sob a orientação de Michele Jamiolkowski, professor da Escola Politécnica de Turim.
De acordo com os engenheiros, ainda vai recuperar mais e, tecnicamente, era mesmo possível  colocá-la na vertical. Mas alto lá!... Os habitantes nem querem ouvir falar disso—os engenheiros são bons rapazes, mas não podem matar-lhes a galinha dos ovos de ouro. Tudo, menos isso!... A Torre deve ameaçar ruína ad aeternum.
.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

OS GRANDES VELEIROS

,
.

PILAR DO RIO

.
.
(Lisboa, 29-08-2013)
.

CORRENTE DE FRASES

.


Não se habita num país; habita-se numa língua.


Emil Cioran

OPEL OLYMPIA

.
.
A matrícula é mais recente, mas o carro deve ser de 1951—notável!
(Lisboa, 29-08-2013)
.

EFEMÉRIDES

.


Neste dia, 29 de Agosto, em 1915, nasceu em Estocolmo Ingrid Bergman, a artista do "Casablanca". Neste mesmo dia, em 1982, morreu em Londres, vítima de cancro, no 67º aniversário do nascimento. A morte é macaca!
.
video
.

EH... EH... EH...

.
.
(Lisboa, 29-08-2013)
.

QUERES DINHEIRO ?

.

O Tribunal Constitucional chumbou uma lei que pretendia dar ao Governo, segundo parece, poder para despedir funcionários públicos de forma mais ou menos arbitrária. Os meritíssimos—que dão uma no cravo e outra na ferradura, em conformidade com as suas convicções políticas e interesses próprios—deram uma ensaboadela ao Pedrito.
Pedrito é burro, ponto. Primeiro, porque não percebe que quando começa a fazer avisos aos meritíssimos, está a admitir que as leis em apreço são inconstitucionais e carecem de avisos para passar. Depois, porque os avisos são uma forma de pressão e os meritíssimos não são sensíveis a pressões—desde que os seus interesses pessoais não sejam beliscados, bem entendido. Por exemplo, deixaram passar o imposto da Contribuição Extraordinária de Solidariedade aplicado aos pensionistas porque eles—meritíssimos—não são abrangidos, mas não deixaram passar o corte dos subsídios de férias e Natal porque eles—meritíssimos—eram atingidos. Aí está, ou voilà para os francófonos.
A seguir, virá outra novela que será o corte de 10% nas pensões da função pública. Suas Excelências—meritíssimos—não serão atingidos, segundo as regras actuais. Mas um Secretário de Estado imprudente e incauto, pressionado pelos jornais, já bazofiou que irão ser abrangidos: eles—meritíssimos— e os diplomatas—menos meritíssimos. Assim, Pedrito virá de novo lançar alertas laranja ao Tribunal e, naturalmente, vai levar no coco, o que não é mal feito.
Antigamente, dizia-se assim: Queres dinheiro? Vai ao Tota! Agora, digo eu ao Pedrito: Queres dinheiro? Vai ao BPN. Tal e qual.
.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

OS GRANDES VELEIROS

.
.
Batalha de Camperdown (1797)
.

ALENTEJO

..
.
(27-08-2013)
.

COMEMORAR O NADA

.
.
O prédio da fotografia situa-se na Rue du Banquier, em Paris, e aparece aqui porque na segunda coluna a contar da direita tem afixada uma placa comemorativa importante que se pode ver bem na imagem em baixo.
Muitas placas comemorativas em ruas portuguesas podiam ser substituídas, com vantagem, por lápides equivalentes. É verdade!
(Com colaboração de Pedro Masson)

CASCA DE NOZ


.
.
(Lisboa, 28.08-2013)
.

MANIFESTO ANTI-MERKEL

.

"A Grécia nunca devia ter entrado no euro", diz Merkel. Provavelmente, Portugal também não, a Espanha também não, e a Irlanda, e a Itália, e Chipre, e a Holanda, e blá, blá,blá. Às tantas, o único país que devia ter entrado era a Alemanha.
Ou é o inverso que é verdade? A Alemanha é que nunca devia ter entrado no euro? A opinião de muitos analistas económicos é mesmo essa: quem está a mais no Eurogrupo  é a Alemanha, com a economia desalinhada com o resto da Europa e uma moeda—que impôs—com valor insustentável para a Grécia, Portugal, Irlanda, blá, blá, blá.
Num artigo recente do "The New York  Times", alguém defendia  ser a melhor solução para o euro a saída da Alemanha, mais o seu marco de 200 escudos. Os teutónicos estarão a asfixiar a economia europeia, obrigada a trabalhar com uma moeda com valor rígido de 200 escudos.
Morra a Merkel. Morra. PIM.
.

SOMBRINHA

.
.
(Lisboa, 28.08-2013)
.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

OS GRANDES VELEIROS

.
.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

OS CLÁSSICOS

.
video
.
Yves Montand
"Mathilda"
.

RISCOS VINDOS DO ESPAÇO

.

Asteróides são corpos celestes de dimensões relativamente pequenas que fazem parte do Sistema Solar, orbitando o Sol. A imagem representa as órbitas dos asteróides potencialmente perigosos para a Terra. São cerca de 1.400, têm diâmetro superior a 140 metros e passam a menos de 7,5 milhões de quilómetros do nosso planeta, quando o contornam. Nenhum deles, contudo, constitui ameaça para os próximos 100 anos, o que significa que quase todos os actuais terráqueos podem estar tranquilos a esse respeito. Apenas na pátria onde a terra se acaba e o mar começa medra alguma preocupação relativamente ao asteróide "Orçamento 2014". A NASA espera, com o próximo lançamento do satélite "Wise", informar com mais rigor sobre os riscos a que estão expostos os habitantes lusitanos.
.

COMPREENDER O PLANETA AZUL

.
.
(Colaboração de Arnaldo Valente)
.

PARCEIRO DO MARRETA EM CATIVEIRO

.
O companheiro do Marreta foi encontrado esta madrugada e aboletado num estábulo com outros animais. O proprietário da besta, Manuel Farinhoto, já tinha esmorecido e perdido a esperança de a recuperar. Segundo ele, a supracitada besta estaria "cansada e a querer companhia", sendo atraída pela presença de outras alimárias ali residentes. Mas está muito brava, muito agitada, quase selvagem, e Farinhoto não dá conta dela. Provavelmente, acabará em breve feita em bifes do lombo, da pá, da vazia, em costeletas e carne picada. Aliás, segundo o criador, com mais de 50 anos de experiência, tem boa carne e mais vale reduzi-la a vitualhas depressa, antes que fuja outra vez, como aconteceu com o Marreta, fugitivo por duas vezes e ainda a monte.
Farinhoto, de 66 anos, já não tem compleição para actividade tão desgastante como a de criar proteína de besta, razão porque vai abandoná-la.  Muito assisadamente em minha opinião, vai dedicar-se à produção de vinho. É que o vinho não foge e a uva é mais dócil e menos selvagem. A saudade do Marreta, ainda a monte, repito, é que não morre tão cedo. Talvez a nova produção de Farinhoto ajude a esquecê-lo.

PS: Não posso acreditar que o leitor não sabe quem é o Marreta. Em caso de se verificar esse lapso, pode encontrar toda a informação aqui.
.

VAI ALTO O NÍVEL


.
O discurso político no seu melhor!...
.

domingo, 25 de agosto de 2013

OS GRANDES VELEIROS

.
.
"Leander"
Clipper das "corridas" do chá
.

A TORRE, A CRUZ E O GALO

.
.

CORRENTE DE FRASES

.


Não sejas humilde... não és assim tão grande.


Golda Meir

OUTROS TEMPOS

.
.
Início do Século XX
.

LISBOA AMARRADA AO CAIS


.
(15-08-2013)
.

ARISTOTELIS DE MORIBUS AD NICOMACHUM

.
Quando era jovem, ouvia dizer que um acto era altamente reprovável quando pior que bater na avó ou cuspir na sopa. Bater na mulher não fazia parte da bitola que, em termos de zurzir parentes, falava apenas na avó. Portanto, uns bofetões na mulher não seria considerado coisa muito grave—talvez pedagógica até.
As coisas mudam com o tempo e é bem possível que bater na mulher seja agora tão mau como cuspir na sopa. Não sei. É a evolução dos costumes e da ética. Mas fiquei a saber que uma juíza de instrução da nação lusitana, onde a apologia de beber uns copos para incrementar a alegria no trabalho está em vias de fazer jurisprudência, considera que bater na mulher é acto incomparavelmente menos doloso que cuspir na sopa.
Tudo é relativo e, consequentemente, discutível. A Senhora Dr.ª Juíza de Mação deve andar embrenhada em leituras filosóficas. A avaliação ética faz-se pelas acções, ou pela qualidade moral de quem as produz? Aristóteles, que opinava ser o importante a qualidade moral do cidadão, mesmo que isso incluísse alguns bofetões na mulher, teria talvez absolvido o agressor por ser bom rapaz. A magistrada de Mação—suspeito—achará também que um estalo bem dado no tempo certo pode constituir acto ético louvável. Pelo menos, até ao dia em que um seu marido, se o tiver, lhe pregar um par de estalos na cara com pontaria afinada. Aí, quiçá, acabarão as decisões aristotélicas de Sua Excelência.
.

sábado, 24 de agosto de 2013

OS GRANDES VELEIROS

.
.
"Windy"
.

PESCADOR

,
.
(Lisboa, 21.02-2013)
.

OS CLÁSSICOS

.
video
.
Tereza Tarouca
"O Riso Que Me Deste"
.

FACES

..
.
(Lisboa, 22-08-2013)
.

A ASNEIRA É LIVRE . A CRÍTICA TAMBÉM

.

Luís Filipe Vieira, da alto da competência que lhe foi atribuída pela lei do Direito Divino, ordenou ontem, urbi et orbi: "Não ataquem o Jorge Jesus nem os jogadores. Ataquem-me a mim".
Com todo o respeito pela lei, e mais ainda pelo seu braço benfiquista, reivindico o direito inalienável de atacar Vieira, Jorge Jesus e a legião estrangeira que o líder das águias não pára de engrossar e a que chama jogadores. Criticarei, seja às fatias ou por grosso.
Só nos faltava agora ser Vieira a marcar a fronteira da crítica às burrices do clube da Luz, campeão nacional da asneira!
.

UM ESPAÇO CÉNICO

.
.
Fundação Champalimaud, 22-08-2013
.

A BRUMA DO CASO BRUMA

.

O leitor, que tem acompanhado passo a passo o caso de Armindo Tué Na Bangna, também conhecido por Bruma, está naturalmente preocupado. Há matéria, de facto, para enorme preocupação, bem espelhada na forma como os portugueses falam do caso no autocarro, na paragem do eléctrico, na estação do Metro, no café, na praia, no emprego até.
Então, uma qualquer Comissão Arbitral Paritária (CAP) não é que deu razão ao Sporting no conflito que opõe o clube a Bruma?!
O advogado do jogador, Bebiano Gomes, já veio dizer que aquele não sente condições para continuar no clube e, por isso, vai recorrer para a FIFA. Para a FIFA?, pergunto espantado! Para o Conselho de Segurança da ONU, no mínimo!
O que verdadeiramente me deixa atónito é a falta de relevância que os media de Portugal, da Europa e dos outros continentes dão ao caso. Fala-se do Egipto, da Irmandade Muçulmana, do caso Snowden e da NSA, da matança do seu próprio povo com gases por Bashar al Assad, e de outras coisas menores, e Bruma? Que se diz sobre Bruma? Uma matéria que devia ocupar toda a primeira página dos jornais do mundo, ocupa apenas o segundo, ou terceiro lugar na relevância noticiosa universal.
Aliás, a complexidade da situação ficou bem expressa na declaração do advogado de Bruma, ao perguntar quem era ele [advogado] para dizer a Armindo Tué Na Bangna e ao seu agente, Catió Baldé, o que deviam fazer perante a decisão da CAP. Isso é matéria para decidir em plenário da Assembleia Geral da ONU. Pelo menos!
.